DRM – Digital Restriction ManagementDRM – Digital Restriction Management

 

HollyWeb

Imagine you buy a book, go home to read it. But for some reason we need a special lamp to read it. And this lamp is sold only by the publishing house.

HollyWeb

Você vai na livraria, compra um livro, mas por algum motivo ele só pode ser lido sob uma luz especial que só é vendida pela editora.

Any moment, without ask you, or even tell you, the publishing house take your book back, or decide to continue read the book, you must pay a “bit” more.
Without any announcement, they can change pages, content, images and so on.

I think nobody will buy a book with these conditions. Likewise, many are reluctant to buy a famous coffe maker that makes delicious coffee, but you have to buy a refill that only one manufacturer produces.
Some day the manufacturer develop a new model of coffee maker with another kind of refill. Certainly, they will discontinue the old refill, or increase the price to push customers to the new model.

DRM

Digital Rights Management, It’s coming with the excuse of protecting the author and even the user. But the community is calling “Digital Restrictions Management”.
To clarify the understanding, the explanation from mozillian Fabrício Zuardi:

  • “With DRM, if you buy an eBook, a song, a game, a movie, or any other digital content, it’s not yours.
  • You can’t open it on the app you want.
  • You can’t back it up;
  • The app store where you bought it, can take it from you without ask or tell you. (this already happens with Kindle users);
  • With DRM, you can’t lend to a friend a book or a movie;
  • With DRM you can’t develop a compatible player to open the files you bought;
  • If one day the app store where you bought it discontinue the player, you can’t not access them anymore;
  • With DRM, you only can open your files on OS where the vendor developed players;
  • Due they have secrets, DRM support could not be implemented on free softwares.

Anti-drm

We can support this cause signing this manifesto..

If you want to go deeply on the subject:

A qualquer momento, a editora pega o seu livro sem te perguntar, ou resolve que para continuar a ler o livro, ou até mesmo consultá-lo você teria que pagar mais uma taxa.

Ainda sem você saber, a editora troca algumas páginas, com alterações de texto, imagens e coisa e tal.

Acho que ninguém compraria um livro com todas essas condições, certo? Da mesma forma que muitos relutam em comprar aquela cafeteira que faz um café delicioso mas você é obrigado a comprar o refil do fabricante. E o dia que o fabricante resolver lançar outra cafeteira com outro modelo de refil? Certamente ou vai descontinuar o refil antigo, ou aumentar o preço para empurrar os clientes para o novo modelo.

DRM

Digital Rights Management, ou em português, Gestão dos Direitos Digitais, está vindo com o falso objetivo de proteger os autores e até mesmo os usuários. Porém a comunidade já está chamando de “Digital Restrictions Management”, ou Gestão das restrições digitais.

Para facilitar o entendimento, vou transcrever a explicação do mozillian Fabrício Zuardi sobre o tema:

  • “Com DRM, quando vc compra um eBook, ou um album de músicas, um jogo, um filme ou outro conteúdo digital, ele não é seu.
  • Você não pode abri-lo no programa que quiser
  • Não pode fazer backups;
  • A loja onde vc comprou as vezes pode até tirá-lo de você sem avisar (ja aconteceu no kindle).
  • Com DRM você não pode emprestar um livro ou filme que você comprou pro seu amigo
  • Com DRM você não pode fazer um player compatível para abrir os arquivos que você comprou;
  • No dia que a loja onde você comprou descontinuar os tocadores deles você não consegue mais acessá-los;
  • Com DRM você só pode abrir os seus arquivos nos sistemas operacionais que o vendedor se deu ao trabalho de implementar os tocadores;
  • Por conterem partes que precisam ser secretas, suporte a DRM não pode ser implementado em diversos sistemas livres

Anti-drm

Podemos fazer a nossa parte, assinando um manifesto contra o DRM nesse link.

Para quem quiser se aprofundar no assunto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *